TJSC – Aborto espontâneo. Curetagem. Perfuração uterina. Morte. Dever de indenizar

“A perfuração do útero, ainda que considerada uma consequência de baixa incidência e não desejada, mas possível na curetagem tradicional, segundo estudos relativos à iatrogenia (consequência do ato médico), revela imperícia grave do profissional da medicina quando associada à perfuração do intestino, causa eficiente da morte da paciente por infecção generalizada, conduta médica culposa que invade a área do ilícito civil e impõe o dever de indenizar”. Confira a decisão na íntegra:

colaboradores

fenômenos_aprendizagem.png

redes sociais

  • YouTube
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

contato